quarta-feira, novembro 03, 2010

_ somos uma classe retentista que sobrou do século passado. toleramos tudo, mas ssabemos que os valores liberais se destinam a perpetuar nossa passividade. achamos que acreditamos em deus, mas os mistérios da vida e da morte nos aterrorizam. somos profundamente autocentrados, mas não conseguimos lidar com a idéia de nossas individualidades finitas. cremos no progresso e no poder da razão, mas vivemos assombrados pelos lados mais obscuros da natureza humana. estamos obcecados por sexo, mas tememos a imaginação sexual e precisamos de tabus aos montes para nos proteger. acreditamos na igualdade mas odiamos as classes inferiores. tememos nossos corpos e, acima de tudo, temos medo da morte. somos um acidente da natureza, mas acreditamos ocupar o centro do universo. estamos a poucos passos do esquecimento, mas esperamos ser de algum modo imortais..."

_ e isto tudo é culpa do...século XX?


terroristas do milênio - JG Ballard.

sábado, março 07, 2009



clique e aumente


sexta-feira, fevereiro 06, 2009








Jujuba

Bananada

Pipoca

Cocada

Queijadinha

Sorvete

Chiclete

Sundae de chocolate

Paçoca

Mariola

Quindim

Frumelo

Doce de abóbora com coco

Bala juquinha

Algodão doce

Manjar.



Venha pra cá

Venha comigo!

A hora é pra já

Não é proibido.

Vou te contar:

Tá divertido

Pode chegar!



Vai ser nesse fim de semana

Manda um e-mail para a Joana vir

Não precisa bancar bacana

Fala para o Peixoto chegar aí!



Traz todo mundo

Tá liberado

É só chegar.



Traz toda a gente,

Tá convidado

É pra dançar



Toda tristeza deixa lá fora

Chega pra cá!

quarta-feira, fevereiro 04, 2009


Li nestes dias, numa tacada só, a "Saga Lusa" de Adriana Calcanhotto. De cara já eleito o melhor dos melhores de 2009, venha o que vier. O livro é ótimo. A linguagem "blogues", descompromissada, meio diário, nos coloca bem ao ladinho da gaúcha enquanto ela vai surtando em terras de Camões por conta de uma mistura de remédios para curar uma simples gripe. Pura antítese, a gente se diverte enquanto ela enlouquece. Tiração de sarro com sí próprio. Uma belezura.


"Eu prossigo:


- É sério, por favor. Não sou dramática, quer dizer, só um pouquinho, mas nem sempre, ou enfim, me ajude, estou morrendo."



Ou então


"Que não papo o Jabuti com estas linhazinhas? Meu Deus, que horror, o que estou dizendo, sou vegetariana, tô doida de pedra mesmo, agora sim, me chamem os homens de branco!



Minha mãe sempre me disse que um dia eu ia escrever um livro, gozado. A gente se esforça, batalha, luta, faz psicanálise, vai ao teatro, tudo pra se constituir, pra ter recorte. Aí, na primeira surtadinha faz o quê? O que a mamãe queria. Não sei não, achei meio caído"


Auto-biografia-de-recorte. E falando em recorte, a capa também é ótima, composta de pedaços de caixas de remédio que a própria Calcanhotto compôs, para se acalmar.

Depois disso, eu, que estou com uma gripe fortíssima, nem me atrevo a tomar remédio algum. Não tenho pretenções literárias. Apenas liguei para o trabalho e disse que não iria. Afinal, não é nada bom ficar cortando tomates com o nariz escorrendo.


dl

quarta-feira, janeiro 07, 2009

my own privet reveillon










" sou qualquer coisa de itermédio
pilar da ponte de tédio
que vai de mim para o outro"
mario de sá-carneiro

terça-feira, outubro 28, 2008




Depois das férias, volto à casa que precisa ser arrumada. Soprar os pós, jogar os estragados da geladeira, arrumar um lugar no armário para as suas bermudas.




terça-feira, abril 01, 2008

Para acabar:

"Quem conhece sua face não sou eu

Quem aplaca sua fúria não sou eu

Não sou, não sou, não sou

Quem consola suas mágoas não sou eu

Quem castiga, quem difere não sou eu

Não sou, não sou, não sou

Quem escreve seu destino não sou eu

Quem acorda todo dia não sou eu

Não sou, não sou, não sou

Quem prefere linhas tortas não sou eu "


(e ponto final)

sexta-feira, março 28, 2008

Em vias de fechar as portas, vai a dica:

Leiam, vejam, comentem. Seu acesso é o meu sucesso.



Mudando de assunto, como dizia a vovó de um querido: "cão que é picado por cobra tem medo de linguiça".

quarta-feira, março 19, 2008

Laurie Anderson - Oh, Superman

quinta-feira, março 06, 2008

Era uma vez uma velha

que engoliu um inseto.
Que coisa estranha,
engulir essa zorra!

Talvez ela morra.

Era uma vez uma velha
que engoliu uma aranha.
Que ria
e corria
e zunia
dentro dela.
Ela engoliu a aranha
para pegar o inseto.
Mas seria correto
ter comido o inseto?
Nossa, que zorra

Talvez ela morra.
Era uma vez uma velha
que engoliu um morcego
Nêgo,
engulir um morcego!
Ela engoliu o morcego
para pegar a aranha.
Que ria
e corria
e zunia
dentro dela.

Ela engoliu a aranha
para pegar o inseto.
Nossa, que zorra!

Talvez ela morra.

Era uma vez uma velha
que engoliu
um tucano.
Que desumano,
engolir um tucano!

Ela engoliu o tucano para pegar o marcego
e engoliu o morcego para pegar a aranha
que ria
e corria
e zunia
dentro dela.
Ela engoliu
a aranha
pra
pegar o inseto.
Mas seria correto
ter comido o inseto?

Talvez ela morra.
Era uma vez uma velha
que engoliu uma vaca.
Devia estar com a macaca
para engolir uma vaca.

Ela engoliu
a vaca
pra pegar
o tucano.
Ela engoliu
o tucano
pra pegar o morcego.

Ela engoliu o morcego pra pegar a aranha
que ria e corria e zunia dentro dela.
Ela engoliu a aranha pra pegar o inseto.
Mas seria correto ter comido o inseto?
Que zorra!

Talvez ela morra.

Era uma vez uma velha
que engoliu...um cavalo, gente!

Morreu,
é evidente.



*"Era uma vez uma velha..." - Jan Pienkowski

terça-feira, março 04, 2008


quarta-feira, fevereiro 27, 2008


quarta-feira, fevereiro 20, 2008


"O negócio dela era ganhar dinheiro para se transformar", diz a família, pasma com o fim brusco da odisséia particular de Thesca - que deixou Terezina para se travestir em São Paulo, implantando silicone em busca do corpo perfeito e morreu sem realizar seu sonho italiano.

Thesca nasceu Franciso de Chagas Azevedo, prematuro de seis meses que "desenvolveu bem", chegando a 1,84m. "Desde 1 ano já tinha jeito, era o mais delicadinho dos cinco irmãos", enfiando-se sempre nas brincadeiras de bonecas das irmãs.

Aos 17, "tomou coragem e se assumiu", ali mesmo no bairro Dirceu, "onde era adorado até por senhoras de idade". Em menos de um mês se vestia como mulher: logo era a Miss Gay Teresina. Mas queria ir para São Paulo, juntar dinheiro para morar na Itália - lá seria respeitado.

Com 21 anos chegou a São José dos Campos. Em um anos investiu R$15 mil no corpo, com próteses nos seios e implante nas nádegas. O dinheiro de sobra, enviava religiosamente para a mãe.

Solteira, Thesca gastava bem o salto nos forrós. Fora até convidada, diz a irmã, para dançar em bandas do Piauí. "Mas era muito tímida" e até para comprar sapatos tinhas de ir uma irmã junto. Só a noite, quando punha a roupa de trabalho, sentia-se a vontade.

Viajaria ao Piauí para dar adeus à família, rumo a Itália. "Nunca foi tão feliz". Mas o último implante, nas coxas, invadiu as artérias, causando edema pulmonar e asfixia. Thesca morreu no dia 12, de parada cardíaca, aos 22 anos, em São José dos Campos.


*Thesca, o silicone e a odisséia particular - Willian Vieira - Folha de S. Paulo



quarta-feira, fevereiro 06, 2008



And I'm floating in a most peculiar way
And the stars look very different today

terça-feira, fevereiro 05, 2008


a festa da carne




quarta-feira, janeiro 30, 2008


I feel me slipping in and out of consciousness




terça-feira, janeiro 29, 2008












domingo, janeiro 27, 2008



foto original: denis rodriguez

sexta-feira, janeiro 25, 2008





quarta-feira, janeiro 23, 2008
















me dói ou me rói?

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Kasper Bjørke - Doesnt Matter Feat. The Pierces

segunda-feira, janeiro 14, 2008

He was bad, so they put an ice pick in his brain...




sábado, janeiro 05, 2008




And we know what we´re knowing
But we can´t say what we´ve seen

domingo, dezembro 30, 2007

Bem, não posso concordar com isso.

Não seja assim. Não diga isto. Você está tentando me enganar.

Não, não estou.

Está sim. Não está conseguindo, mas está tentando.

O que não entendo é, e vou repetir...

Mas se você não entende uma coisa, não me culpe totalmente. Talvez você não consiga entender. Não me faça dizer seis vezes. Tenho de me repetir o tempo todo.

O que estou tentando entender é com que você está tão preocupado. A que está resistindo, realmente?



[ ENTRADA PROIBIDA ]



sexta-feira, dezembro 28, 2007

Manifesto Hedonista I



“O hedonismo não é a mesma coisa que o consumismo, é exatamente o oposto. É o antídoto. O consumismo é o hedonismo liberal e capitalista que afirma ser a felicidade a posse de bens materiais. Que filosofia defendeu uma estupidez dessas? Nenhuma em 25 séculos, muito menos a minha. O hedonismo é a arte de ser, não a de ter. E a arte de ser é a sabedoria ascética do despojamento: não se cobrir de honras, de dinheiro, de riquezas, de poder, de glória e outros falsos valores ou virtudes, mas preferir a liberdade, a autonomia, a independência. A escultura de si é a arte dessa técnica de construção do ser como uma singularidade livre.”

* Michel Onfray


“Make me tonight
Tonight, make it right
Make me tonight
Tonight
Tonight
Make it magnificent
Tonight
Right

Oh your hair is beautiful
Oh tonight

Atomic

Tonight, make it magnificent
Tonight
Make me tonight

Your hair is beautiful
Oh tonight

Atomic”

* Blondie

sexta-feira, dezembro 21, 2007


Desculpe, não me lembro em que gaveta guardei a máscara-sorridente-de-fim-de-ano.
Boas festas!
dl

terça-feira, dezembro 18, 2007


love me or i´ll kill you

sexta-feira, dezembro 14, 2007


Eu não vou ensinar ao seu namorado como dançar com você.



quarta-feira, dezembro 05, 2007





"Os passos que não dei
Ainda virão
Em outra direção
Por terras mais firmes
Mas com ocasionais
Sobressaltos do meu coração
Os monstros que venci
Aqui e ali
Chegaram a confundir
Um cara mais simples
Mas não menos febril
Quando a fonte é o amor
A arte e o Brasil
O sol brilha no azul
Que aponta novos caminhos
Quem sabe logo virão
Me achar."
M.L.